banner 1.png

Informe Bancário – 04/10/2018
 
Alerta - Bancário: cuidado com candidatos que estão contra você
 
Vamos às urnas dizer não à retirada de direitos, não às medidas que engessam a capacidade de investimento do Estado, não à entrega do patrimônio nacional, não aos que propagam a falsa ideia de que o trabalhador será obrigado a escolher entre direitos e emprego.

Tribunal de São Paulo decide que só sindicalizados podem receber benefícios de Acordo Coletivo
 
“Se é certo que a sindicalização é facultativa, não menos certo é que as entidades sindicais devem ser valorizadas e precisam da participação dos trabalhadores da categoria, inclusive financeira, a fim de se manterem fortes e aptas a defenderem os interesses comuns”, acrescenta Rockenbach.

Férias remuneradas e 13º estão em risco com o avanço da extrema direita
 
A economia brasileira poderia perder, de uma tacada só, cerca de R$ 300 bilhões anuais caso fosse aplicada a medida defendida pelo candidato a vice-presidente de Jair Bolsonaro (PSL), o coronel da reserva Hamilton Mourão (PRTB), de acabar com as férias remuneradas e o 13º salário.

 

PLR do BB será paga nesta quinta (06/09)

O Banco do Brasil depositará a antecipação da PLR nesta quinta-feira (06/09). Conforme estabelecido do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), assinado no dia 31 de agosto de 2018, que previu o pagamento da primeira parcela em dez dias e, a segunda parcela, referente ao segundo semestre de 2018, em até dez dias após a data de distribuição dos dividendos ou JCP-Juros sobre o Capital Próprio aos acionistas.
Diretoria Executiva da CONTEC

 

Banco do Brasil apresenta redação de cláusulas do acordo e negociação continua

Ciclos de avaliação para descomissionamento por desempenho
Um grande avanço na mesa de negociação, conquistado nesta rodada, foi a manutenção da cláusula do Acordo Coletivo que garante a observação de três ciclos avaliatórios consecutivos de GDP com desempenhos insatisfatórios, para efeito de descomissionamento.
O banco havia anunciado a retirada desta cláusula do acordo desde as primeiras rodadas de negociação.

Intervalo de almoço e lanche
O banco apresentou a proposta de implementação do intervalo de almoço para os funcionários de seis horas e de oito horas.
Os funcionários com jornada de oito horas poderão ter o horário de almoço reduzido para 30 minutos se for do interesse do funcionário, no ponto eletrônico. Também os funcionários de seis horas poderão, pela proposta, ampliar o intervalo para até 30 minutos. Neste caso, mesmo o intervalo de 15 minutos deverá ser obrigatoriamente registrado no ponto eletrônico.
A Comissão de Empresa informou ao banco que em visitas às diversas unidades em todo o Brasil houve uma percepção diferente dos diversos públicos, tendo uma aceitação maior dos funcionários de oito horas.
Os funcionários de seis horas têm percepção diferente, uma vez que em vários locais, com o fim das cantinas e prédios muito grandes, acaba sendo uma perda de alguns minutos para os locais de lanche.
A proposta da Comissão de Empresa é que seja colocado no acordo de 2018 a possibilidade de redução do intervalo apenas para os funcionários de oito horas, que efetivamente tem obrigatoriedade de registro de intervalo atualmente. A comissão ainda fez algumas ressalvas, para que não haja obrigação de redução de intervalo sem a vontade ou combinação com o funcionário.
Banco de horas
Foi apresentada uma proposta para banco de horas, retornando esta cláusula ao Acordo Coletivo, com as seguintes características: duração de seis meses para compensação com folgas, sendo um dia acumulado para um dia folgado e, caso a compensação não aconteça em até seis meses, o saldo de horas será convertido em espécie e pago no mês subsequente com o devido adicional de hora extra, ou seja, uma hora e meia.
Parcelamento de férias
Os representantes dos funcionários solicitaram ao banco que o parcelamento de férias em três períodos seja clausulado no ACT, permitindo que um dos intervalos seja de, no mínimo, 12 dias e não 14 dias como está na lei. A Comissão de Empresa afirma que na nova lei trabalhista, que retirou direitos, mesmo o parcelamento de férias traz prejuízo aos funcionários, uma vez que, com 14 dias, as empresas sempre ganharão um final de semana ou dois dias dos funcionários, que, no parcelamento anterior, não acontecia. O banco negou reduzir o período para 12 dias e este intervalo não entrará no acordo, já que pode ser implantado diretamente.
Negociação continua
Amanhã, continua negociação com o Banco do Brasil para fechamento da proposta e apresentação nas assembleias.

MANTER A MOILIZAÇÃO ATRAVÉS DO DIALOGO NAS UNIDADES E CONTATO COM O SINDICATO, PARA , NA NECESSIDADE, COM UNIDADE, ALCANCEMOS NOSSOS OBJETIVO NESTA CAMPANHA.

 


Caixa antecipa e paga PLR nesta quinta-feira (6)

A Diretoria da Caixa Econômica Federal anunciou nesta quarta-feira (5) que vai antecipar o pagamento da PLR. O crédito será feito na conta dos empregados na noite de quinta-feira (6). O valor estará disponível na manhã do feriado de 7 de setembro.
Essa é a primeira parcela da PLR e equivale a 50% do valor total. O restante será pago até 31 de março de 2019.
A PLR na Caixa é composta pela regra Fenaban e a PLR Social.
Diretoria Executiva da CONTEC

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE VARGINHA E REGIÃO

 

Reunião de negociação da CAIXA continua nesta quinta (23/08)

A Comissão Executiva Bancária Nacional de Negociação – CEBNN/Contec esteve reunida mais uma vez, ontem, com os negociadores da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL para tratar das negociações nesta campanha salarial 2018. A redação de várias cláusulas do Acordo Coletivo revisando foram debatidos e a comissão CONTEC reforçou a necessidade da manutenção do SAÚDE CAIXA para todos os empregados sem qualquer exclusão.
Entre  as redações sugeridas pela CAIXA, está a inclusão da cesta alimentação para o empregado afastado por LATP e doenças graves, no período de até 2 anos. A CAIXA propõe ainda isentar os funcionários do pagamento de anuidade do cartão CAIXA, bandeira ELO e outra, à escolha do empregado, entre VISA, MasterCard ou JCB, limitado a 2 cartões, na vigência do ACT.
Outra contraproposta do banco é ajustar a redação da cláusula que trata das tarifas e pacote de serviços. A CAIXA quer isentar os empregados – CESTA ESPECIAL CAIXA – permitindo a contratação dos serviços de maior benefício exclusivamente na conta corrente onde o salário é creditado.
O banco também propõe implantar banco de horas, com compensação no período de 12 meses,contado a partir da data em que o empregado cumprir jornada além ou aquém da contratual.
O debate em relação à redação das cláusulas, assim como as reivindicações dos empregados prosseguem logo mais a tarde, após reunião com a FENABAN, prevista para as 15h, desta quinta-feira (23/08), em São Paulo.
Os empregados da CAIXA estão fortemente mobilizados e vão lutar para que não haja retrocessos nas negociações. Desejam a renovação do ACT revisando, com a permanência do SaúdeCaixa para todos, e a garantia da PLR ADICIONAL.
Continue acompanhando a marcha das negociações nas redes sociais e site da CONTEC. Juntos somos mais fortes!
NEGOCIAÇÕES CAIXA CONTINUAM NA QUINTA,. DIA 23, CONSIDERANDO QUE A CAIXA AINDA NÃO APRESENTOU PROPOSTA COMPLETA PARA AVALIAÇÃO DOS EMPREGADOS NAS ASSEMBLEIAS, BEM COMO A FALTA DE CONSENSO DE VÁRIAS PROPOSTAS CITADAS ABAIXO.

Após a Caixa apresentar semana passada renovação de algumas clausulas do ACT vigente, na reunião de ontem trouxe a discussão as demais clausulas  propondo ajustes, alterações e exclusões.

Para muitas delas houve consenso , por se tratar de alterações de ajustes,  porém,  para outras, o entendimento é de retirada de direitos , ou seja:

-  Cesta Alimentação e Vale Refeição para os casos de Licença Médica e afastamentos, onde limita o prazo de concessão,
-  exclusão de clausulas que permitem  afastamento do titular para acompanhamento de cônjuge, filhos, enteados, em consultas e  tratamento médico.     
-  alteração no intervalo para computo de jornada noturna.
-  alteração na jornada de trabalho, acrescentando 15 minutos aos 15 do cafezinho, repondo no final da jornada, perfazendo assim 30 minutos para almoço e refeição.
-  alterações nos critérios de suplementação de aposentadorias , criando interstício de 10 anos para novo período aquisitivo, limitado a 365 dias a suplementação e em casos de doenças 2 anos,

Voltaremos à mesa nesta  quinta, manifestando junto a Comissão Caixa a necessidade de se manter o que já foi ajustado em anos anteriores, como reservas de direitos dos empregados, visando contribuir na consolidação de um novo Acordo.
Quanto aos reajustes e PLR , a FENABAN continua na mesa com a Comissão Nacional dos Empregados/Contec no dia de hoje, que deverão ser utilizados como parâmetros para os bancos públicos, exceto àqueles com regras próprias.

A Caixa não trouxe a mesa proposta da PLR SOCIAL e nem do SAÚDE CAIXA, alegando que ainda não tem finalizada sua proposta e acertada entre os órgãos governamentais., fato este que, lamentavelmente, após tantas reuniões e discussões, continua insistindo na fragilidade do plano de saúde dos empregados com um retrocesso sem precedentes e alinhada às reformas iniciadas neste Governo.

Todavia , a Comissão Caixa ficou de apresentar na reunião de hoje, após mesa Fenaban, a sua proposta tanto para a PLR SOCIAL, quanto para o SAÚDE CAIXA.
Temos insistido em todas as reuniões, que não permitiremos nenhum direito a menos na questão do Saúde Caixa e PLR, diante dos resultados apresentados pela Caixa, decorrente do esforço de um quantitativo de pessoal já escasso nas unidades, e que , para o movimento sindical a CGPAR não vem aparada por legislação própria para tais alterações no plano.


Comissão Executiva Bancária Nacional de Negociação – CEBNN/Contec

 

2013 © Desenvolvido por